Corrigindo fontes e emojis no Arch Linux

Recentemente migrei do Windows 10 para o Arch Linux. Uma coisa que pega bastante gente que migra de sistema operacional (eu incluso) são coisas simples como: fontes, gerenciamento de mídias, drivers, etc.

O Arch por ter uma filosofia de ser leve, simples e deixar a personalização a cargo do usuário não instala muitas coisas por padrão como fazem algumas outras distros Linux. No caso das fontes, o conjunto de fontes que mais me serviu foi os pacotes abaixo:

sudo pacman -S noto-fonts noto-fonts-emoji ttf-liberation ttf-droid adobe-source-sans-fonts ttf-dejavu
git clone https://aur.archlinux.org/ttf-ms-fonts.git
cd ttf-ms-fonts
makepkg -si

Essas fontes me deram uma boa cobertura para sites modernos como o Instagram (emojis) e jogos.

O lado bom do Arch que qualquer das coisas básicas que citei acima é muito bem explicada na Wiki deles.

Mais sobre o sistema de fontes em: https://wiki.archlinux.org/title/Fonts

Instalando Anaconda no Linux/Debian/Ubuntu

Passo a passo bem simples para quem tem que instalar o Anaconda no Linux para trabalhar com aprendizado de máquina/data science.

A instalação do Anaconda ou “conda” pode ser feita por meio de um bash script obtido em https://www.anaconda.com/distribution/. As opções de download disponíveis atualmente são para o Python 2.7 ou Python 3.7 e para sistemas operacionais Windows, macOS e Linux, para todos esses SOs tem versões 32-bit (x86) ou 64-bit (x86_64).

Continuar lendo “Instalando Anaconda no Linux/Debian/Ubuntu”

Unix completa 50 anos

O Unix é um dos sistemas operacionais mais importantes da historia, você pode não ter interagido diretamente com um, mas com certeza já usou algo que estava usando esse sistema.

No verão de 1969, Ken Thompson e Dennis Ritchie criaram a primeira implementação do Unix, a motivação inicial do Ken Thompson era criar um sistema operacional que executasse o jogo (chamado de Space Travel [5]) que ele estava desenvolvendo de forma eficiente. Dennis Ritchie se inspirou em alguns projetos anteriores de sistemas operacionais como o Multics[4] da Bell Labs.

Depois do desenvolvimento inicial do Unix, ele começou a se tornar popular tanto no mercado quanto academicamente, logo mais, foram se criando sistemas operacionais que usavam ele como base, dentre as “sub-famílias” mais populares: MacOS, Linux e BSD.

Histórico do sistema Unix e dos sistemas operacionais derivados dele
Histórico do sistema Unix e dos sistemas operacionais derivados dele

Referências, curiosidades e história completa do Unix em:

  1. https://www.bell-labs.com/var/articles/invention-unix/
  2. https://www.bell-labs.com/unix50/
  3. https://www.bell-labs.com/usr/dmr/www/hist.html
  4. https://en.wikipedia.org/wiki/Multics
  5. https://en.wikipedia.org/wiki/Space_Travel_(video_game)

Corrigindo as horas no Arch Linux e outras distros

É normal que seu computador fique com o relógio bem impreciso, ainda mais quando você recém instala o seu Sistema Operacional.

Alguns sistemas operacionais já vem com algum programa que implementa o protocolo NTP para sincronizar o relógio da sua máquina automaticamente. O protocolo NTP além de sincronizar seu computador com vários outros servidores, ele também é preparado para lida com a latência¹ que ocorrer na comunicação com outros servidores e com outros fatores que podem afetar a precisão do relógio do seu computador.

Continuar lendo “Corrigindo as horas no Arch Linux e outras distros”

Comandos do Linux

Bash ou terminal do linux
Bash ou terminal do linux

Uma lista com comandos específicos e uma breve descrição de cada um.

 

 

Comando Descrição
cd <ENDEREÇO> Vai pra determinado diretório
cd / Vai para o root do linux
rmdir Remove diretório
rm -r <DIRETÓRIO> Remove diretório não-vazios de forma recursiva
ls [-l, – a, -la] Lista aquivos e diretório
du -hs  Mostra o espaço usado por cada arquivo/diretório de usuário
cat Mostra o conteúdo do arquivo
mkdir Cria diretório
mv Move ou renomeia o arquivo/diretório
cp Copia arquivo
pwd Mostra o diretório atual
touh Cria arquivo em branco

 

Sugestões de leitura:
http://www.linfo.org/